Alguns pacientes com predisposição genética para doenças arrítmicas raras, que podem ocorrer até mesmo em crianças (Síndrome de Brugada, Síndrome do QT longo congênito, miocardiopatia hipertrófica) e pacientes com doenças cardíacas (infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca, doença de Chagas) apresentam risco aumentado para arritmias e morte súbita.

Logo, parentes de pacientes com doenças genéticas arrítmicas e doenças cardíacas deverão realizar exames para diagnosticar e prevenir arritmias e morte súbita.

Copyright © 2009, Arritmia Cardíaca. Todos os direitos reservados.